Resenha NCIS 12x01 - Twenty Clicks


O vilão da temporada. Talvez o vilão da série! Sergei Mishnev, mercenário russo, financiado por oligarcas, amigo de Ari Haswari, Osama Bin Laden e Benham Parsa. Ele não chegou em NCIS agora, ele está lá desde o começo, trabalhando em conjunto com outros criminosos, e após ver cada um deles falhar miseravelmente diante de Gibbs, parece que resolveu acabar com o "problema" com as próprias mãos. Ou armas, se preferir.

Sempre achei interessante os roteiristas da série tentarem amarrar bem as histórias, reciclar velhas ideias, vide toda a trama do cartel Reynosa, mas dessa vez não tenho certeza se eles não forçaram a barra. Colocar um único personagem por trás de tantos vilões parece arriscado demais, principalmente ao ressuscitar Ari, agora que já não temos Ziva (eu não consigo escrever um texto sem citar a personagem, e lá se foi uma temporada sem ela). Pelo menos não fisicamente, pois certas frases como "uma agulha no palheiro" nunca mais foram as mesmas depois dos "zivismos" (quem não lembra da célebre "uma agulha num agulheiro"?). Fato é que, pelo menos, Sergei tem mais jeito de vilão que Parsa, e só por isso acho que tem potencial. 
O grande destaque positivo do episódio foi a parceria Gibbs-McGee tão pouco explorada na série. A relação de inferioridade que Tim sempre demonstrou na presença do chefe parece ter ficado de lado quando os dois se viram numa difícil situação justamente no terreno do geek: a floresta. Essa sim foi uma boa sacada, lembrar habilidades dos personagens é sempre uma ótima saída. Eles terem "tropeçado" num rifle no meio do caminho foi um pouco conveniente, mas é sempre bom ver que o velho Gibbs não enferruja.

E se o chefe está fora, Tony faz a festa, já que é o Agente Senior da turma, e exerce com naturalidade a liderança que fora sua outrora. Mas a equipe como um todo mostrou o entrosamento de sempre, com o discurso de missão de resgate na ponta da língua. Cada um contribuiu brilhantemente dentro da sua área de conhecimento e contatos. 
Oi, eu sou o vilão, sou um clichê russo, prazer.

Bishop não comprometeu e praticamente salvou o dia. Com a ajuda do marido, Jake, da NSA, de vários satélites... mas foi através dela que foi possível localizar Gibbs, McGee e Kevin, o cara do T.I. O que dizer sobre esse rapaz, é muita ingenuidade por parte de alguém que trabalha numa Agência de segurança pensar que pode sair impune ao cometer um crime conspirando contra o próprio patrão com uma milícia russa. Um dos pontos fracos do roteiro, ninguém ter notado o comportamento do jovem nos últimos meses, toda a chantagem, a história do tio. Pensaram tanto no Sergei que esqueceram de desenvolver essa parte.

NCIS voltou com tudo que sempre teve. Caf Pow, Gibbs sendo chauvanista e tentando de todas as formas proteger a piloto (mulheres sempre foram seu ponto fraco, Ari sabia como ninguém), políticos pouco se importando com os Agentes e tentando manter a diplomacia. E nós voltamos a assistir justamente por que sabemos que tudo isso estará lá. Ou quase tudo...

Notas:

- "Estava curioso em vê-lo trabalhar." McGee não tem jeito, sempre dá uma fora com o Gibbs, nem acreditei quando ele tava com a bússola na mão o tempo todo...

- E o troco do Gibbs com o isqueiro foi merecido.

- "WWMD! (What would McGee do?)" way of life.

Não esqueçam de deixar seus comentários sobre o episódio, até a próxima.

ASSISTA O PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO AQUI.



Share on Google Plus

About Giovanna Garcez

Estudante de mestrado em Engenharia e Tecnologia de Materiais, professora de química, fã de música e seriados. Eu quero TIVA de volta!
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário